Todo sistema de refrigeração conta com pelo menos quatro componentes principais: compressor, condensador, dispositivo de expansão e evaporador. Dentre estes, o dispositivo de expansão é o responsável pelo abaixamento da pressão no ciclo e pelo controle adequado da vazão de refrigerante que alimenta o evaporador. Tais dispositivos podem ser classificados como dispositivos de ação fixa e variável. O exemplo mais comum de dispositivo de ação fixa é o tubo capilar. O POLO tem se dedicado há praticamente três décadas em caracterizar não só experimentalmente, mas também numericamente o escoamento dos mais diversos refrigerantes através de tubos capilares. Para tanto, conta com uma base de dados com mais de 1000 pontos experimentais envolvendo fluidos refrigerantes como R-12, R-22, R134a, R600a, CO2 e tubos capilares com diâmetros internos de 0,3 a 1,05mm. Além disso, o POLO possui modelos de simulação capazes de prever com confiabilidade a vazão mássica ou a geometria dos tubos em função das condições de operação tanto para tubos capilares adiabáticos como não-adiabáticos. No que diz respeito a dispositivos de expansão de ação variável, o laboratório tem dado atenção especial a válvulas elétricas voltadas a aplicações domésticas e comerciais leves. A busca de um controle adequado da capacidade de refrigeração e de um dispositivo de expansão que se adapte a variações de carga térmica, tem motivado o POLO a estudar válvulas com orifício e acionamento adequados, e a construir bancadas experimentais para a caracterização do escoamento através de tais válvulas.


Projetos